Cidade dos sonhos




(Mulholland Drive)
EUA, 2001 • Direção de David Lynch. Com Justin Theroux, Naomi Watts, Betty Elms, Laura Harring e Ann Miller.



“Todo sonho é a realização de um desejo.” Freud


Rita escapa de um acidente de carro na Mulholland Drive, Los Angeles, perde a memória e se refugia no prédio onde mora Betty, uma aspirante a atriz que acaba ajudando a mulher.

David Lynch resolveu dirigir Cidade dos Sonhos depois de ter oferecido o roteiro à rede ABC em forma de seriado e ver seu projeto* rejeitado pelos produtores. Que bom. Fiquei vidrada na cadeira e, como não confio no diretor, de vez em quando tapava os olhos com as mãos e assistia pelas frestinhas. Apesar das cenas de humor, esqueça as pipocas. O filme é tenso e a trilha acidental é de arrepiar. Chega um momento em que você pensa que não vai compreender o final, tamanho o labirinto criado pelo diretor. Mas, mesmo que você não entenda, não faz diferença. Cidade dos Sonhos é um túnel de sensações e um resumo da obra do cineasta. A principio sem pé nem cabeça, tudo parece se encaixar quando a história termina.



"Veja aqui o script oferecido à ABC .



A PARTIR DE AGORA, SÓ LEIA SE VOCÊ JÁ VIU.


"Hey, pretty girl, time to wake up." – Cowboy


Entendi o filme à minha maneira, já que Cidade dos Sonhos está aberto a um monte de interpretações diferentes. Talvez seja uma leitura bem linear da história. A abertura psicodélica já remete ao mundo dos sonhos. Depois ouve-se uma respiração e a câmera se aproxima de um travesseiro até "entrar" dentro da fronha. Na primeira parte do filme, Naomi Watts está sonhando: é uma grande atriz em ascensão, linda, angelical. Quando acorda é uma mulher sem atrativos, os dentes amarelados e uma vida obscura.

As chaves quentes


1. O filme se divide em duas partes: sonho e realidade.
2. Hollywood também é conhecida como a indústria dos sonhos e David Lynch aproveitou a deixa para fazer uma crítica aos magnatas do cinema.
3. A importância da chave azul.
4. Quando sonhamos com gente que nunca vimos, pode ser aquela pessoa que estava no ônibus ao nosso lado, de manhã. Ou seja, você vê um caubói numa festa e sonha com ele.
5. O nome no crachá da moça da lanchonete.
6. Em inglês, dr. também é abreviação de dream.
7. Às vezes, na vida real, você é Courtney Love, mas no seu sonho pode ser Sandra Dee.
8. Sentimento de culpa.
9. Matador profissional.
10. Eu te amo, você não me ama mais. Mas no meu sonho você me ama e muito.
11. O cineasta comendo o pão que o diabo amassou: vingança.
12. Quando Betty está num restaurante (onde aparece o caubói) o diretor de cinema anuncia a todos que ele e a protagonista do seu filme vão se casar. Uma lourinha beija a noiva na boca. Imagina-se que ela é a nova namoradinha da atriz. É a mesma garota que os produtores exigem para o filme. A que tem pistolão. This is the girl.
13: “Está na hora de acordar, garota”.

Nunca mais pude ouvir Crying sem sentir medo.


....


David Lynch adorou a polêmica criada em torno de Cidade dos Sonhos e as mil conclusões que as pessoas chegaram depois de assistir o filme. Sites de discussão foram criados, divertindo o cineasta, que botou muita lenha na fogueira e indicando uma série de pistas, algumas aparentemente falsas:

- No começo do filme, depois dos créditos, duas pistas são reveladas. Fique atento para o que está escrito no letreiro luminoso.

- Qual o título do filme para qual o personagem Adam Kesher está realizando teste de elenco? Ele será mencionado mais de uma vez durante Cidade dos sonhos.

- O acidente é um importante acontecimento em Cidade dos Sonhos. Onde ele acontece?

- Fique atento para o roupão, o cinzeiro e a caneca de café.

- Que entrega a chave azul e por quê?

- Qual o mistério revelado no palco do Club Silêncio?

- Somente o talento de Camila pode ajudá-la?

- Fique atento para o objeto que está nas mãos do estranho homem que vive perto da lanchonete Winkie.

- Onde está tia Ruth?

...


Se você quiser, conte como entendeu o filme.


Extra Em 2003 críticos do jornal inglês The Guardian fizeram uma enquete que apontou David Lynch como o maior cineasta da atualidade, seguido, na ordem, por Martin Scorcese, Joel e Ethan Coen, Steven Soderbergh, Terrence Malick, Abbas Kiarostami, Errol Morris, Hayao Miyazaki, David Cronenberg, Terence Oavies e Manoel de Oliveira.

------


COMENTÁRIOS


Trata-se de um sonho e isso é evidente desde o início quando Betty Elm diz para "Rita", enquanto desfaz as malas "...E agora estou aqui, neste lugar de sonhos ("...and now I'm here in this dreamplace"). Hollywood é um sonho. A cidade dos sonhos. E nos sonhos fazemos aquilo que queremos. Descemos ao invés de subir, como a seqüência do acidente de Rita, que desce Mulholland Dr., assustada, para se abrigar no rico condomínio onde Betty é uma hóspede. Essa seqüência é oposta àquela da visita real de Diane, que sobe a mesma estrada para a festa de Camilla. Festa onde seus sonhos são destruídos da mesma forma que em um acidente.

Tudo é o contrário, Betty é alegre e vivaz. Diane é deprimida. Betty se veste de forma jovial e Diane usa camiseta e shorts surrados e um robe encardido. E por aí vai. O fato é que podemos tudo em nossos sonhos. Até mesmo evocar filmes antigos que também tratam de sonhos e expectativas. David Lynch já afirmou uma vez que Mulholland Dr. é o seu Sunset Blvd. e as coincidências são muitas. A começar pelos títulos abreviados (Dr./Blvd). Rita, assim como Joe encontra um lugar para se abrigar do perigo (ambos os perigos estão relacionados a automóveis) e acaba envolvida com a dona da casa. Joe e Diane sonham com o estrelato, enquanto Joe e Camilla acabam mortos por seus sonhos. As coincidências são inúmeras e as leituras intermináveis, é só rever esses dois filmes and it's all there.

Quanto à chave e à caixinha azul, como diz o próprio Lynch "Não faço idéia do que sejam".

(Maria Vitória Rosa)



.

2 comentários:

Monix disse...

Eu também acho que o início é que é o sonho.
Beijocas

favoritos disse...

Muito obrigada por fazer esse blog... Fico esperando cada post ansiosamente!!!! Beijo!