Nunca te vi, sempre te amei.





(84 Charing Cross Road)
EUA, 1986. De David Hugh Jones. Baseado no romance autobiográfico de Helene Hanff. Com Anne Bancroft, Anthony Hopkins e Judi Dench.

Uma pequena jóia que aquece os corações de quem gosta de temas como amor e amizade. Especialíssimo para quem ama os livros. O título original se refere ao endereço da Mark & Co, em Londres. Mas na vida real, a livraria ficava na 84 Cambridge Circus, hoje substituída por uma pizzaria Hut. O filme foi um presente de aniversário de Mel Brooks para sua mulher Anne.

Helene Hanff (Anne B.) é uma escritora americana sem dinheiro e apaixonada por livros raros de segunda mão, que se corresponde com Frank Doel (Anthony H.), gerente da Mark & Co, especializada em edições esgotadas. A correspondência ao longo de 20 anos transforma dois estranhos em grandes amigos. Ou mais do que isso.

Se fosse rodado hoje em dia, provavelmente se chamaria Nunca te vi, sempre te email :P

................................................................
"Se eu tivesse os trajes bordados do céu, adornados com luz dourada e prateada, e os trajes escuros, sombrios e azuis da noite, à luz, e à meia-luz, eu estenderia estes trajes sob seus pés. Mas eu, sendo pobre, tenho só os meus pensamentos. Então estendo meus sonhos, com suavidade porque você caminha neles." Frank Noel
................................................................

Adjetivo: delicado
.

2 comentários:

Ana Maria disse...

Não consigo me lembrar de um único trabalho do Anthony Hopkins que eu não tenha gostado. Ele é como o Bruno Ganz - hipermegatalentoso.

marina w. disse...

Acho que não existe, né? É demais, o cara.