Apocalipse now






Apocalipse Now (Apocalipse Now)

EUA, 1979 . De Francis Ford Coppola. Roteiro de Francis Coppola e John Milius, baseado no romance No Coração das Trevas, de Joseph Conrad. Com Marlon Brando, Robert Duvall, Martin Sheen e Dennis Hopper.


"The horror, the horror." – Coronel Kurtz

O capitão Willard (Sheen) tem a missão de encontrar e matar o coronel Kurtz (Brando), que aparentemente enlouqueceu e criou uma espécie de santuário nas selvas do Camboja, onde comanda um exército particular.

(Cenas inesquecíveis: os helicópteros atacando ao som de "As Valquírias", de Wagner, e os soldados participando de um campeonato de surfe enquanto os inimigos atiram sem parar. Evidentemente, este é o filme sobre a Guerra do Vietnã).

"Não se detenha nunca antes de atingir a meta final. Disto estou absolutamente convencido." – Coronel Kurtz

Enfarte, excesso de drogas, doenças e até um furacão tornaram as filmagens de Apocalipse Now tão problemáticas que Coppola ameaçou se suicidar diversas vezes. O filme, que estava previsto para ficar pronto em seis semanas, acabou sendo rodado em 16 meses. Foram 14 meses de isolamento nas Filipinas, com tufões e chuvas torrenciais, inundações e destruição de cenários. Coppola perdeu cerca de 30 quilos. Na cena de abertura, Martin Sheen estava totalmente bêbado. Saindo do roteiro, deu um soco no espelho do quarto do hotel. Sua mão sangra, ele sente muita dor. Logo em seguida o ator enfarta. Coppola aproveita tudo.

Quando Marlon Brando chegou às locações, o cineasta quase surtou. O personagem do ator era um homem esquálido e Brando parecia um buda. Também não tinha lido o livro nem decorado suas falas. Para minimizar a aparência do ator, o cineasta fez todas as tomadas escuras e cheias de sombras. Um dos monólogos de Brando foi totalmente inventado por ele na hora. Como podemos esquecer o ator repetindo as palavras de T. S. Eliot, na penumbra? Dennis Hopper representa um fotógrafo que realmente existiu e cobriu a Guerra do Vietnã. Era um tipo exótico que carregava dezenas de câmeras penduradas no pescoço. O ator de Easy Rider fez todas as suas cenas completamente drogado.

Marlon Brando ameaçou abandonar o projeto diversas vezes mas o diretor fingia que não se importava, dizendo que colocaria Jack Nicholson ou Al Pacino no seu lugar. Harvey Keitel chegou a ser escalado para fazer o papel de capitão Benjamin L Willard, mas semanas antes do início das filmagens Coppola optou por Martin Sheen. O próprio diretor teve de tirar milhões de dólares do bolso, após ter estourado o orçamento inicial.


Harrison Ford era tão desconhecido que seu nome só aparece nos créditos do Redux. Ele faz uma ponta e seu personagem se chama Lucas, em homenagem ao produtor George Lucas.


Um jeito Hicthcock de ser Francis Ford Coppola interpreta um repórter.


Para ter em casa. No caso de você colecionar obras-primas.

.

.

Um comentário:

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Oi. Sigo esse blog há um tempinho e fiquei feliz que ele tenha voltado à ativa...
Esse filme ainda não vi, mas já está na minha lista (enorme) de filmes que não posso deixar de ver...

Abçs