O Homem que Copiava





Brasil, 2004. Roteiro e direção de Jorge Furtado. Com Lázaro Ramos, Leandra Leal, Pedro Cardoso, Luana Piovani, Carlos Cunha, Júlio Andrade, Artur Pinto e Paulo José.


"A vida é mais complicada que um quebra-cabeça." - André.


André (Lázaro) é um operador de fotocopiadora - como costuma se apresentar, envergonhado - que trabalha numa papelaria e sonha ser desenhista. De tanto tirar cópias o dia inteiro, sabe um pouco de cada coisa, as informações sempre fragmentadas - o trecho de um poema, um pedaço de biografia, alguma coisa sobre Shakespeare. Apaixonado por sua vizinha (Leandra), costuma espioná-la de binóculo pela janela. Mil coisas acontecem nessa história bem-boladíssima, amoral, que faz rir, emociona e surpreende o espectador.

"A Vida é original. O resto é cópia."



Enfim, uma comédia romântica brasileira inspirada, com um roteiro genial e elenco de primeira. Lázaro Ramos emociona, Leandra Leal é a atriz da sua geração. Os coadjuvantes, atores gaúchos, são muito bons. Pedro Cardoso é sempre Pedro Cardoso, não adianta, e está endraçadíssimo. Luana Piovani está surpreendentemente bem, e quando ela aparece a tela se ilumina. E o que dizer de Paulo José, um dos atores mais comoventes do país, mesmo fazendo apenas uma ponta?

Bacaníssimo também é ser passado em Porto Alegre; e a escolha de um ator negro, quando a cor do personagem principal não interessa a mínima. Apesar de ser muito divertido, fiquei com vontade de chorar o filme inteiro, e de fato chorei.

O Homem que Copiava tem 1448 planos, foi feito em 43 dias e a montagem durou um ano. O roteiro levou cinco anos para ser concluído, enquanto Furtado fazia uma série de outras coisas, incluindo Houve uma vez dois verões.

Comentário

Meu nome é Cynthia Caprara e acompanho os teus blogs, adoro o que tu escreve. E quando vi teu comentário do Homem que Copiava, achei muito bacana, fui a produtora de elenco do filme, trabalho com o Jorge Furtado na Casa de Cinema de POA. Quando testei o Lázaro, sabia que minha busca tinha terminado.
Assim como o Jorge, que chamou o Lázaro para vir a POA, para mais um teste.Mas na verdade, era um almoço para a familia e amigos, ao final do dia, quando estavamos indo para o aeroporto, foi dada a noticia, ele era o André.
A cor do personagem realmente não interessava a minima.
Obrigada
Cynthia


.

4 comentários:

Cynthia disse...

Oi Marina!
Meu nome é Cynthia Caprara e acompanho os teus blogs, adoro o que tu escreve. E quando vi teu comentário do Homem que Copiava, achei muito bacana, fui a produtora de elenco do filme, trabalho com o Jorge Furtado na Casa de Cinema de POA. Quando testei o Lázaro, sabia que minha busca tinha terminado.
Assim como o Jorge, que chamou o Lázaro para vir a POA, para mais um teste.Mas na verdade, era um almoço para a familia e amigos, ao final do dia, quando estavamos indo para o aeroporto, foi dada a noticia, ele era o André.
A cor do personagem realmente não interessava a minima.
Obrigada
Cynthia

marina w. disse...

Cynthia, que bacana. Vou publicar seu comentário por ser pertinente, sempre publico qdo tem alguma coisa que acrescente.
Parabéns, vi o filme duas vezes no cinema, uma coisa que não costumo fazer. Um beijo!

Renata disse...

Parabens, Cynthia! O filme é realmente muito bom, e o elenco maravilhoso!

Cynthia disse...

Obrigada Marina , considero os longas quase como se fossem meus filhos (já que não tenho), principalmente este.
E também sou envolvida na causa dos animais, já chorei muito lendo teu blog,e quando posso ajudo, deposito nas contas ou assino petições.
Sou tua fã.
Bj
Cynthia